A importância da palha de café para a nutrição do cafeeiro
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
A importância da palha de café para a nutrição do cafeeiro

A importância da palha de café para a nutrição do cafeeiro

A adubação na cultura do café é uma atividade que impacta de 20% a 25% no custo de produção

2 minutos de leitura

A adubação na cultura do café é uma atividade que impacta aproximadamente em 20% a 25% no custo de produção e diretamente na produtividade. Por isso a importância da palha de café para a nutrição do cafeeiro.

Sendo assim, é essencial planejar e executar bem o processo, para garantir a sustentabilidade produtiva e econômica.

Palha de café para a nutrição do cafeeiro

Antes de mais nada, é preciso entender que a casca do café, chamada de palha do café, é um resíduo gerado de forma natural, no processo de benefício dos grãos de café que são vendidos.

Acima de tudo, esta palha é bastante rica em nutrientes minerais e materiais orgânicos. Esses, devolvidos à lavoura, ajudam na melhoria física, química e biológica do solo. Além de aumentar a retenção de água deste solo.

Ela também pode ser misturada a estercos e compostos orgânicos.

Contudo, uma prática que vem sendo esquecida por parte dos produtores é a aplicação dessa palha. Isso porque existe maior comodidade dos fertilizantes químicos ou pela baixa e cara disponibilidade de mão de obra.

Por isso, seu uso tem sido mais empregado na queima em fornalhas para secagem do café.

Assim, existem três tipos de palhas que são geradas durante o processo de pós-colheita.

Casca de cereja descascado (CD)

Com origem no descascamento do café cereja no processamento de via úmida antes da secagem do café.

Casca Pergaminho

Com origem no benefício do café cereja descascado.

Casca do café natural

Com origem no benefício dos cafés que não passam pelo processo de via úmida.

Para cada saca de 60 Kg beneficiado, é gerado um resíduo de aproximadamente 60 kg de palha de café.

Ou seja, todos os três tipos de palha podem e devem ser reaproveitados. Porém, para aplicação direta na lavoura, preferencialmente, deve se usar as palhas do café natural, as palhas de café cereja descascado e pergaminho.

É preciso fazer processo de compostagem na palha antes do uso como fertilizantes.

A composição da palha de café natural é de aproximadamente 1,5 % de nitrogênio, 0,15% de fósforo e 3% de potássio e ainda contém cálcio, magnésio e enxofre, além de carbono orgânico.

Aplicação

O ideal é que a aplicação da palha seja o quanto antes. Se a palha for guardada, é preciso proteção para evitar a perda de nutrientes com a chuva.

Assim, a aplicação deve ser feita em faixa na projeção da copa para as lavouras adultas e em faixa de 50 a 70 cm para lavouras novas.

Neste caso (lavouras novas), dispensar a aplicação de potássio. Para aplicação no plantio, preferencialmente, colocar em cobertura em faixa ao invés de aplicar diretamente no sulco ou cova.

Quanto ao custo de aplicação, para o mecanizado depende muito do equipamento, mas na prática é em torno de 15 ton/dia e no manual, em torno de 3,0 ton/dia homem.

Benefícios

Dessa forma, o uso de palha oferece diversos benefícios até mesmo na redução do uso dos fertilizantes químicos. Pode haver uma redução de até 30% do potássio, 14% do nitrogênio, 15% do fósforo, dependendo da quantidade aplicada.

Para essa redução, é preciso aplicar 2,5 toneladas de palha de café para uma lavoura de 40 sacas/ha.

Os custos finais por kg de nutrientes aplicados são compatíveis, além de outros benefícios como retenção de água, menor temperatura no solo, nitrogênio. Além de mais fósforo, cálcio, magnésio, enxofre e melhorias biológicas. O produtor sempre deve estar atento às práticas já conhecidas e simples que podem levar a uma maior sustentabilidade para seu negócio.