Agropecuária pode contribuir para economia verde no Brasil, diz ministra
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Agropecuária pode contribuir para economia verde no Brasil, diz ministra

Agropecuária pode contribuir para economia verde no Brasil, diz ministra

Durante lançamento do Programa Nacional de Crescimento Verde, Tereza Cristina destacou as ações realizadas pelo Mapa para que o agro seja protagonista de sustentabilidade

2 minutos de leitura

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) disse que o agro pode contribuir para economia verde no Brasil. A afirmação foi feita no lançamento do Programa Nacional de Crescimento Verde, dos ministérios do Meio Ambiente e da Economia.

Assim, durante o evento, a ministra destacou as ações realizadas pelo Mapa.

Dessa forma, o Plano Setorial de Adaptação e Baixa Emissão de Carbono na Agropecuária, chamado de ABC+, foi apresentado pela ministra como uma das mais ambiciosas políticas públicas agropecuárias no mundo.

Nesse sentido, até 2030, a meta do Plano é reduzir a emissão de carbono equivalente em 1,1 bilhão de toneladas no setor agro com a adoção de tecnologias de produção sustentável.

Economia verde no Brasil

Ela também destacou a criação da Cédula de Produtor Rural Verde, a CPR Verde, que irá incentivar o produtor rural a produzir preservando e recebendo pagamento por serviços ambientais.

“Por meio de iniciativas sustentáveis, o Brasil continuará a fortalecer a agropecuária, um dos setores mais vulneráveis à mudança do clima”, disse Tereza Cristina.

Outras diretrizes nas quais o Mapa atua também foram lembradas pela ministra. Como, por exemplo, a integração entre a conservação do meio ambiente com a produção agropecuária. Bem como a a regularização fundiária, a promoção da regularização ambiental das propriedades rurais, com a implementação do Código Florestal Brasileiro.

“A agricultura brasileira é descarbonizante, e a neutralidade de carbono caminhará a passos largos.”

Objetivos

Por isso, o Programa Nacional de Crescimento Verde tem como principais objetivos aliar redução das emissões de carbono.

Além de conservação de florestas e uso racional de recursos naturais com geração de emprego verde e crescimento econômico. Assim, melhorando a condição de vida da população brasileira.

O Programa será guiado por incentivos econômicos, transformação institucional e critérios de priorização de políticas públicas e projetos e ações do setor privado.

Os incentivos econômicos terão como foco a promoção do desenvolvimento de instrumentos de mercado.

No sentido da transformação institucional, o propósito é fazer com que ações do governo federal potencializem projetos verdes.

Já os critérios de priorização visam dar destaque às iniciativas verdes.

Crédito

Atualmente, o governo federal conta com linhas de crédito que, somadas, chegam a R$ 400 bilhões.

Elas contemplam projetos verdes em áreas como: conservação e restauração florestal, saneamento, gestão de resíduos, ecoturismo, agricultura de baixa emissão, energia renovável, mobilidade urbana, transporte e logística, tecnologia da informação e comunicação e infraestrutura verde.

Em resumo, esses recursos impulsionarão a economia, gerando empregos e contribuindo para a consolidação do Brasil como a maior economia verde do mundo.