Aliança de mulheres do café completa 10 anos no Brasil
close
Aliança de mulheres do café completa 10 anos no Brasil

Aliança de mulheres do café completa 10 anos no Brasil

Associação tem o objetivo de capacitar e inserir as mulheres no mercado do café nacional, assim como fazer contatos fora do país

2 minutos de leitura

Há 10 anos, mulheres brasileiras que atuavam no mercado do café se uniram para reivindicar protagonismo e reconhecimento. Assim, com foco inicial no campo, essas mulheres fundaram a Aliança Internacional das Mulheres do Café Brasil (IWCA Brasil).

A união completou uma década neste ano e, por isso, teve seu trabalho celebrado durante a Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte.

Segundo reportagem publicada pela Agência Brasil, as lutas e histórias foram relembradas pela presidente da IWCA, a produtora de cafés especiais Miriam Monteiro de Aguiar. “Mas as mulheres sempre foram parte importante de todos os elos da cadeia cafeeira”.

“A IWCA nasceu em um espaço que não existia nada. Era um deserto, e a gente semeava em um deserto. Era um ambiente de protagonismo masculino tradicionalmente, em que as mulheres invisíveis sustentavam negócios e participavam ativamente do processo, mas se julgavam coadjuvantes e ajudantes”, disse Miriam Aguiar.

Aliança de mulheres do café

A associação nasceu no Brasil oito anos depois de o movimento ter começado no mundo. Diferença de tempo que Miriam atribui a essa tradição masculina no café.

Desde então, a associação firmou parcerias para capacitação e inserção das mulheres em posições de protagonismo. Dessa forma, Miriam acredita que foi possível construir um lugar de identidade da mulher na cafeicultura, seja no campo ou na cidade.

“Não existe sustentabilidade sem diversidade. Isso a gente fala para a diversidade do solo, na agricultura, e, na sociedade, a gente também é assim com a diversidade de gênero, a diversidade de raça. Então a gente é atravessado por essas questões todas” disse a presidente da IWCA, que quer ampliar o papel da instituição no enfrentamento da violência de gênero.

“Queremos trazer questões que ficam debaixo do tapete, como questões de violência contra a mulher, explícitas e sutis, que operam nesse sistema. Nos próximos anos, nossa meta é colocar foco no que fica encoberto”, defende.

Contatos internacionais

Como associação global, a IWCA tem um papel de colocar as mulheres brasileiras em contato com mulheres do café de outros 24 países, o que Miriam conta que foi fundamental para que ela própria pudesse ousar exportar seus cafés.

“É muito importante quando você visualiza espaços que você pode alcançar. Isso amplia seu campo de atuação”.