Assistência técnica rural melhora processo de produção cafeeira
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Assistência técnica rural melhora processo de produção cafeeira

Assistência técnica rural melhora processo de produção cafeeira

Prestação de serviços e visitas regulares beneficiam atividades de famílias agricultoras

3 minutos de leitura

De acordo com a definição do Instituto de Economia Agrícola (IEA), a assistência técnica e a extensão rural (ATER) são serviços fundamentais no processo de desenvolvimento rural e da atividade agropecuária. Pois, é um instrumento de comunicação, de conhecimento e de novas tecnologias geradas pela pesquisa e outros conhecimentos.

Mário Ferraz de Araújo, gerente do Departamento de Desenvolvimento Técnico da cooperativa mineira de café, a Cooxupé, compartilha do mesmo conceito. “A assistência técnica é fundamental para que o agricultor tenha acesso às tecnologias mais viáveis para o seu negócio”, diz.

De acordo com ele, “a tecnologia a ser ofertada para o agricultor tem que levar em consideração, principalmente, o nível tecnológico em que se encontra aquele produtor”, alerta o engenheiro agrônomo.

Cooxupé

Com relação à assistência técnica, a Cooxupé disponibiliza, dentre outros serviços, aos seus cooperados:

  • Atendimentos nas propriedades dos produtores e nas unidades da cooperativa;
  • Orientação de uso racional dos insumos agrícolas para a condução de suas culturas (café, milho, soja, etc);
  • Amostragem de solo e interpretação das análises de solo;
  • Treinamentos, cursos e palestras inerentes às atividades agrícola com foco na cultura do café;
  • Orientação de boas práticas agrícolas e de gestão de modo a atender às exigências da legislação brasileira e de parceiros nacionais e internacionais.

Assistência técnica

Conforme pesquisa da Embrapa, a assistência técnica rural é, pois, uma das etapas mais importantes para a melhoria dos processos de produção, beneficiamento e comercialização. Dessa forma, o Brasil desponta entre os líderes mundiais na utilização de tecnologias. Entretanto, enfrenta carência de profissionais especializados. 

Mas, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) destaca que o conhecimento é a principal ferramenta para alcançar níveis mais elevados de produção e de produtividade na agricultura.

Isso porque o censo agropecuário do IBGE mostra que a assistência técnica impacta o valor bruto da produção (VBP) em todos os segmentos da agropecuária. “Não há dúvidas de que o acompanhamento técnico aumenta a produção e qualidade do produto final do produtor”, completa Ferraz.  

De acordo com levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o VBP na agricultura familiar dos estabelecimentos rurais assistidos é 3,6 vezes maior em relação aos não-assistidos. Ainda conforme o MAPA, cerca de 70% dos alimentos são produzidos por pequenas propriedades, ou seja, famílias que necessitam de assistência de baixo custo ou sem custos.

Assistência técnica gratuita beneficia cafeicultores

Hoje, a Cooxupé mantém mais de 17 mil famílias cooperadas no Sul de Minas, cerrado mineiro, Matas de Minas e na média mogiana do estado de São Paulo.

A cooperativa possui núcleos, unidades avançadas e postos de atendimentos para levar, dentre muitas ações, assistência técnica às famílias. Em sua maioria, mini e pequenas produtoras. A área de atuação corresponde a mais de 300 municípios que produzem café tipo arábica. 

Técnicos e engenheiros agrônomos auxiliam cafeicultores

Ferraz lembra que a assistência técnica junto aos cooperados é totalmente adequada ao nível tecnológico de cada um. Sem distinção de porte e nível sociocultural.

O objetivo é melhorar a produção e produtividade dos cooperados, a assertividade e eficiência nos tratos culturais da lavoura. Bem como a sustentabilidade e as boas práticas agrícolas gerando, pois, uma atividade mais promissora e com melhor qualidade de vida. Além disso, informação de qualidade direto no campo”, detalha o gerente da Cooxupé.

Impacto 

No dia a dia, os técnicos da Cooxupé também orientam os cooperados sobre o uso racional de insumos, sempre respeitando as normas ambientais. “Isto é feito através das visitas nas propriedades rurais bem como nos atendimentos nas unidades da cooperativa”, completa Ferraz.

Em 2021, por exemplo, os engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas do Departamento de Desenvolvimento Técnico da cooperativa realizaram 453 eventos em grupos presenciais e on-line. Participaram aproximadamente 20 mil pessoas. Já nas lavouras cafeeiras e nos núcleos, foram mais de 68 mil atendimentos. 

Atualmente, a assistência técnica do Departamento conta com 114 profissionais de nível técnico e superior. Outros profissionais capacitados com formação técnica e superior também integram setores como o Departamento de Geoprocessamento (que leva importantes informações sobre o clima aos produtores) bem como o de Sustentabilidade, assunto de grande importância aos agricultores.

“Também é nosso papel oferecer suporte em assuntos ligados diretamente ao meio ambiente, ao lado social e à gestão. Além disso, também trabalhamos junto à SMC para orientarmos nossos cooperados sobre a produção de cafés especiais”, conclui Ferraz.