Boas práticas são essenciais para manter a qualidade do café
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Boas práticas são essenciais para manter a qualidade do café

Boas práticas são essenciais para manter a qualidade do café

O produtor precisar verificar a manutenção dos equipamentos, limpeza dos ambientes e condições de trabalho das equipes

3 minutos de leitura

O período de colheita exige que o produtor adote boas práticas para manter a qualidade do café. Para isso, é importante estar atentando em relação a alguns cuidados importantes que devem ser implementados na propriedade.

Esses procedimentos contribuem para que a produção de café atenda a exigência de qualidade do mercado e conquiste, cada vez mais, novos mercados consumidores por ser produzido de forma que não gere agressão ao meio ambiente, garantindo boas condições de vida aos trabalhadores e proporcionando renda suficiente para a qualidade de vida dos cafeicultores.

A Folha Rural, destaca os principais cuidados que devem ser adotados para que o produtor tenha os melhores resultados durante a colheita.

Lavoura

Ainda na lavoura é importante que o cafeicultor faça um bom manejo do mato para evitar o desenvolvimento de cipós. Algumas espécies de cipó produzem sementes que contaminam o café e que são difíceis de serem separadas na indústria e aumentam o percentual de impurezas no café

Na aplicação dos herbicidas deve-se respeitar o intervalo de segurança dos produtos, que é o período que deve aguardar desde a aplicação do defensivo até a colheita. Tomar cuidado para que não ocorra deriva da calda com herbicida para a folhagem do cafeeiro utilizando pontas de pulverização (bicos) apropriados. 

Outro cuidado importante na lavoura é o ponto de colheita. A colheita do café deve ser iniciada quando o café tem no máximo 30% de frutos verdes nas propriedades que fazem Cereja Descascado (CD). Desta forma, conseguirá um maior percentual de café CD. Se iniciar antes, haverá muito café verde e se iniciar depois, haverá muitos frutos passa e secos, aumentando o volume de café de varrição e reduzindo a quantidade de CD.

Já nas propriedades que fazem o café natural, a colheita deve se iniciar com 15% de frutos verdes para conseguir o máximo de cafés maduros e o mínimo de café de varrição.

Trabalhadores

É imprescindível levar em consideração as questões trabalhistas para a contratação dos trabalhadores que farão a colheita. Em toda contratação deve ser feito o registro do trabalhador na Carteira de Trabalho e é proibido contratar menores de 18 anos.

É obrigação do cafeicultor fornecer treinamento aos operadores de máquinas e fornecer todos os EPIs necessários para o trabalho na colheita como luvas, protetor auricular, touca árabe, óculos e perneiras. Deve-se lembrar também da obrigatoriedade do cafeicultor de fornecer água potável para os trabalhadores. Neste caso, é necessário realizar, anualmente, a análise microbiológica da água fornecida. Além disso, as moradias disponibilizadas aos trabalhadores devem estar em boas condições para garantir a segurança e o conforto.

Infraestrutura

Antes de iniciar a colheita, é importante que as estruturas para processamento, secagem e beneficiamento do café estejam em boas condições. Neste momento é importante realizar os reparos necessários e limpeza no terreiro, moegas e tulhas. Durante a secagem, evitar a presença de animais no terreiro para que não ocorra contaminação do café. Para evitar imprevistos e atrasos na colheita, no processamento e na secagem do café deve-se fazer a limpeza, revisão e manutenção nas colhedoras e derriçadeiras, abanadores, lavadores, despolpadores, desmuciladores, peneirões, secadores e máquinas de benefício.

Nos primeiros lotes colhidos, deve-se observar se as peneiras do separador de verdes e as vazadeiras da máquina de benefício estão compatíveis com o tamanho dos grãos desta safra.

O determinador de umidade também deve ser aferido com antecedência para evitar erros na leitura da umidade do café. A umidade ideal para beneficiamento é de 11%, podendo variar de 10,5 a 11,5%. Com umidade acima de 12%, o café perde qualidade rapidamente no armazenamento. Com umidade abaixo de 10,5%, o café perde peso e quebra no beneficiamento, aumentando a catação do lote.

Em caso de dúvidas, a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) disponibiliza o Manual de Segurança e Qualidade para a Cultura do Café, que pode ser acessado gratuitamente pela internet.