Brasil pode exportar mais café para a Finlândia, diz embaixador
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Brasil pode exportar mais café para a Finlândia, diz embaixador

Brasil pode exportar mais café para a Finlândia, diz embaixador

Luís Antonio Balduíno, chefe da embaixada brasileira na Finlândia, afirma que o país nórdico é o maior consumidor per capita de café no mundo

2 minutos de leitura

O Brasil pode exportar mais café para a Finlândia, afirmou o embaixador no país. O Plenário do Senado aprovou no dia 2 de dezembro, a indicação do diplomata Luís Antonio Balduíno para a chefia da embaixada do Brasil na Finlândia.

Assim, durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores (CRE), Balduíno destacou que o país nórdico é o maior consumidor per capita de café no mundo.

Mais café para a Finlândia

“A média anual de consumo é 12 quilos por pessoa. É nosso principal produto de exportação pra lá. Mas a Agência Brasileira de Promoção de Exportações (Apex) já alerta que podemos perder parte deste mercado para outros concorrentes”, disse.

Dessa forma, segundo Balduíno, o foco será promover mais os cafés especiais, porque essa demanda cresce muito em países mais desenvolvidos.

“Querem diferenciação, experiências específicas e cafés produzidos em comunidades. Vamos até fazer um documentário sobre o café brasileiro para passar no Festival de Café da Finlândia.”

Vinho

Nesse sentido, outro foco da embaixada em Helsinque, a capital do país, é aumentar a exportação de vinho. Assim, protocolos já vêm sendo acertados com a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra) e a Casa Valduga.

Do mesmo modo, Balduíno destaca também o fato de o Brasil conseguir exportar uma média de U$ 140 milhões em produtos manufaturados por ano para a Finlândia.

Balduino é bacharel em diplomacia e economia, além de ter pós-graduação em sociologia. Já atuou nas embaixadas do Brasil nos EUA e na Índia. 

Relações econômicas 

Os principais produtos exportados pelo Brasil para a Finlândia são minério de cobre (54%); café não-torrado (22%) e ferro-gusa (8%). A pauta de importação é composta por produtos como papel (9%), adubos e fertilizantes químicos (8,3%) e medicamentos (6,5%).

Em 2019, a Finlândia detinha investimentos no Brasil de US$ 558 milhões pelo critério de investidor imediato. Por fim, estão instaladas no Brasil cerca de 50 empresas do país, que geram 10 mil empregos diretos.