Brasil tem novo verificador dos padrões de café sustentável Starbucks
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Brasil tem novo verificador dos padrões de café sustentável Starbucks

Brasil tem novo verificador dos padrões de café sustentável Starbucks

Imaflora também está habilitado para fazer as avaliações com os padrões da multinacional no Brasil

2 minutos de leitura

A rede de cafés Starbucks desenvolveu um padrão próprio de qualidade para a produção de café sustentável. E, agora, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) também é habilitado para fazer essa verificação, segundo reportagem do Notícias Agrícolas.

O Brasil é o maior produtor de café do mundo. Somente em 2020 foram produzidas 63,1 milhões de sacas, o equivalente a 3,7 toneladas de café. Assim, a multinacional norte-americana tem investido na compra de insumos brasileiros.

No entanto, para se tornar um fornecedor da empresa é preciso possuir o selo de boas práticas e fornecimento ético. O que é denominado de: Práticas de Equidade na Produção de Café, ou C.A.F.E (Coffee and Farmer Equity) Practices.

Criado pela SCS Global Services, em associação à Starbucks e à Conservação Internacional, o padrão foi um dos primeiros conjuntos de normas da indústria do café. Isto porque se buscava a compra ética, para garantir que a Starbucks tenha fornecedores de café sustentável ao longo de toda a sua cadeia produtiva.

A SCS é responsável também por assegurar a qualidade e a integridade do processo de verificação de terceira parte do selo. Assim, capacitando e aprovando organizações que realizam as verificações.

Verificador dos padrões de café sustentável

Até o momento, o Brasil só contava com três entidades verificadoras das práticas de acordo com o protocolo desenvolvido pela Starbucks.

Recentemente, no entanto, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), uma certificadora socioambiental com mais de 25 anos de experiência no mercado, também passou a fazer essa verificação.

“Nós estamos muito satisfeitos por termos nos tornado verificadores do CAFÉ Practice no Brasil”, diz o coordenador de Certificação Agrícola do Imaflora, Edson Teramoto.

“Acreditamos que essa será uma importante contribuição para a construção de uma cadeia do café mais sustentável e valorizada economicamente.”

De acordo com a empresa, a verificação das práticas segundo o protocolo CAFÉ Practice abrange um conjunto de mais de 200 indicadores sociais, econômicos e ambientais.

Avaliação

Esta abordagem avalia as fazendas tendo como base em critérios de qualidade econômicos, sociais e ambientais. Dessa forma, todos são concebidos para promover práticas de cultivo de café transparentes, lucrativas e sustentáveis. Bem como proteger o bem-estar dos cafeicultores, das suas comunidades e do planeta.

A certificação socioambiental é um instrumento criado a fim de testar e garantir boas práticas ao logo das cadeias de produção.

Outras grandes empresas, como a Nespresso, também já adotaram padrões de produção para seus fornecedores ou de estabeleceram critérios de compra ética que envolvem apenas empresas e fazendas certificadas.