Cafeína pode levar cachorros à morte
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Cafeína pode levar cachorros à morte

Cafeína pode levar cachorros à morte

Por que o cafezinho diário pode representar um grande perigo para os amigos de quatro patas?

< 1 minuto de leitura

Muitos tutores alimentam os seus cachorros com comidas feitas para seres humanos. Entretanto, esta pode não ser a melhor opção.

Apesar de o café ser uma das bebidas mais consumidas do Brasil, pode intoxicar o organismo dos cães. Bem como leva-los à morte.

De acordo com informações divulgadas pelo portal da Revista Casa e Jardim, a ingestão de café por cachorros pode causar envenenamento por cafeína. É importante lembrar que existem muitas outras bebidas com alto teor da substância. Por exemplo: energéticos, chás e refrigerantes.

Cachorros e cafeína: alerta

Todos os cães possuem sensibilidade à cafeína. E os sintomas vão de leves a graves. Isto porque depende da quantidade de ingestão da bebida. Os danos, portanto, podem ser cardíacos e renais.

Assim, à reportagem, a médica veterinária Amanda Borges Zanholo conta que, “os sintomas iniciam poucas horas após a ingestão e podem perdurar por mais de 24 horas”, alerta.

Ela ainda conta que “o cachorro pode apresentar vômitos, diarreia, dor abdominal, inquietação, aumento dos batimentos cardíacos, tremores, aumento da temperatura e até convulsões”.

Mais cuidados

Dessa forma, os especialistas alertam que a cafeína possui ação semelhante à teobromina, presente no chocolate (também tóxica para cães e gatos). Estes dois componentes podem, pois, levar à intoxicação e à aceleração dos batimentos cardíacos. Causando, assim, muitos riscos à saúde do melhor amigo do homem.

Diferente de outros tipos de intoxicações, para a cafeína não existe antídoto. Portanto, a médica veterinária Francine Sampaio Martinez adverte à reportagem do portal Revista Casa e Jardim: “a principal medida é levar o animal o mais rápido possível ao veterinário, pois o profissional analisará o caso. E, muitas vezes, o cão precisará receber medicação endovenosa para neutralizar os efeitos colaterais”, diz.