Colômbia estima exportar 12,5 milhões de sacas de café em 2022
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Colômbia estima exportar 12,5 milhões de sacas de café em 2022

Colômbia estima exportar 12,5 milhões de sacas de café em 2022

Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia diz que o país deve produzir 13,5 milhões de sacas de café no ano que vem

2 minutos de leitura

A Colômbia estima exportar 12,5 milhões de sacas de café em 2022. O gerente-geral da Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia (FNC), Roberto Vélez Vallejo, fez as projeções, segundo matéria publicada no portal ABC.

Segundo ele, o país deve produzir 13,5 milhões de sacas de café em 2022 de sacas de 60 quilos.

Vélez destacou que as chuvas, acentuadas pelo fenômeno “La Niña”, não permitiram uma melhor produção neste ano. Assim, a situação tem sido compensada pelos melhores preços nos mercados internacionais.

Colômbia estima exportar mais

Segundo o dirigente, o sindicato calcula que a contribuição do café para o PIB neste ano será de 1%. E que, em 2022, a Colômbia estima exportar mais.

“Aqueles que acreditavam que o café era só uma questão social, que a importância da cafeicultura só tinha a ver com aquele tecido social, mas que economicamente era preciso colocar o café na gaveta do esquecimento porque não era um motor da economia. Bem, eles estavam errados”, disse Vélez.

As declarações foram feitas na abertura do 89º Congresso Nacional dos Cafeicultores.

Diplomacia

Enquanto isso, o presidente colombiano Iván Duque disse na reunião que continuará promovendo a estratégia da diplomacia sanitária. Assim, como já foi feito com China e Coréia, o país poderá abrir mais mercados para seus produtos agrícolas , incluindo café.

Duque ratificou a meta de atingir a barreira de produção de 15 milhões de sacas, após estimar que neste ano a safra ficará entre 13 milhões e 13,5 milhões de sacas.

Nesse sentido, o presidente também anunciou que o Congresso colombiano está prestes a aprovar um projeto de lei que estabilizará os preços dos fertilizantes, um dos fatores que mais influencia os custos de produção.

Por fim, o presidente destacou, ainda, os números de áreas plantadas -5,7 milhões de hectares- e de colhidos -4,6 milhões de hectares- para os quais disse que “este é o melhor ano que o setor cafeeiro viveu nos últimos anos.”