Consumo de café no Brasil tem queda nos últimos 30 dias
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Consumo de café no Brasil tem queda nos últimos 30 dias

Consumo de café no Brasil tem queda nos últimos 30 dias

Segundo Abic, o aumento no valor da saca do café cru e o inevitável repasse por parte da indústria impactaram de forma direta no preço do produto final

2 minutos de leitura

O Consumo de café no Brasil registrou queda nos últimos 30 dias, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Isto porque o consumidor já percebeu que o preço do produto nas prateleiras subiu.

Segundo a Abic, tal aumento impacta diretamente no consumo interno. Assim, nos últimos 30 dias a queda chegou, aproximadamente, a 14%.

Dessa forma, o primeiro fator que explica o cenário é o aumento de 130% no valor da saca do café cru. O que representa 70% do custo de produção para as indústrias do cafezinho que chega às mesas. Essa alta se deu, também, por fatores do clima, geopolíticos e da economia.  

Inicialmente, os industriais negociaram com o varejo e se esforçaram para segurar ao máximo o repasse para o produto final.

Assim, o fato é que os estoques com o preço antigo acabaram, e os novos vieram com valores mais elevados. Por isso não foi possível frear o repasse para o varejo, o que interferiu no valor do café nas gôndolas.

Consumo de café no Brasil

Embora o momento seja de incertezas, segundo a Abic, é difícil fazer previsões concretas para os próximos meses.

Somente a partir de março do ano que vem, quando será possível ter uma ideia mais objetiva sobre a colheita da safra 2021/2022, os cenários poderão ser traçados de maneira mais confiável.

Enquanto isso, a Associação reitera o seu compromisso com a indústria e com o consumidor.

“Continuaremos monitorando os cafés para que a mesma qualidade siga chegando à mesa dos brasileiros. Estamos, também, lado a lado com os industriais, garantindo que a produção mantenha o seu curso normal”, diz Celírio Inácio, Diretor Executivo da Abic.

Alimento acessível

Apesar do aumento ser o maior registrado em 25 anos no país, o café continua sendo um alimento acessível. Afinal, o produto é altamente rentável. “Um quilo de café pode render até 14 litros da bebida, o equivalente a 280 xícaras de 50 ml. Embora o preço do pacote varie de acordo com o local ou com o ponto de venda, é um alimento que dura um bom tempo na despensa”, diz Inácio.