Consumo moderado de café diminui risco de hipertensão, diz estudo
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Consumo moderado de café diminui risco de pressão alta, diz estudo

Consumo moderado de café diminui risco de pressão alta, diz estudo

Pesquisa da USP constatou que consumir de uma a três xícaras de café por dia pode reduzir risco de hipertensão

2 minutos de leitura

Uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP constatou que o consumo moderado de café pode reduzir em até 20% o risco de hipertensão. A publicação do estudo foi feita no portal científico Clinical Nutrition.

A pós-doutoranda da FSP-USP Andreia Miranda explicou que a pesquisa foi feita com base na análise dos hábitos de consumo da bebida.

Além disso, ela considerou dados demográficos, de estilo de vida, exames de sangue e medição de pressão arterial do grupo de participantes, todos funcionários públicos.

“Para o estudo, foram excluídos da amostra pessoas com diagnóstico de hipertensão no início da pesquisa. Excluímos também aqueles que apresentavam histórico prévio de doença cardiovascular (infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e cirurgia cardíaca), além dos que não tinham informação sobre o consumo de café”, disse a pesquisadora ao Jornal da USP.

Dessa forma, o estudo analisou 8.780 participantes, com seguimento médio de quatro anos.

Posteriormente, a pesquisa obteve dados sobre consumo de café entre os participantes por meio de um questionário de frequência alimentar.

O estudo contou, no entanto, com a divisão de quatro categorias: quem nunca ou quase nunca tomava café; quem bebia menos de uma xícara por dia; de uma a três xícaras por dia e mais de três xícaras por dia.

“Foi definido que o tamanho da dose de café é de 50 mililitros (ml), o que corresponde a uma xícara pequena”, relatou Andreia.

“A presença de hipertensão foi definida com o valor de pressão acima de 140 por 90 milímetros de mercúrio (mmHg), o uso de medicação anti-hipertensiva ou ambos.”

Resultados

Dessa forma, a pesquisa concluiu que o consumo médio de café é de 150 ml por dia, o equivalente a três xícaras. E, durante os quatro anos de acompanhamento do estudo, apenas 1.285 participantes desenvolveram hipertensão.

Ou seja, foi possível constatar o efeito inverso entre o consumo moderado de café e a incidência da pressão alta, segundo a pesquisadora.

“No comparação com as pessoas que nunca ou quase nunca tomavam café, o risco de hipertensão foi 20% menor entre aqueles que bebiam de uma a três xícaras por dia. Estudos recentes mostram que o bom efeito do consumo moderado de café é atribuído aos polifenóis, compostos bioativos que são encontrados na bebida.”

Exceção

Mas, o estudo realizou e obteve novas análises estatísticas quando constatou que existe uma relação entre a ingestão de café o hábito de fumar. Então, verificou-se uma diminuição do risco de hipertensão somente entre as pessoas que nunca fumaram e tomavam de uma a três xícaras por dia.

Por outro lado, os resultados da pesquisa não permitem afirmar que haja um risco nessa população. Além disso não é possível afirmar se o consumo de mais de três xícaras diárias de café seja uma dose prejudicial para a saúde.

“Em resumo, os resultados mostram o efeito benéfico em beber de uma a três xícaras de café por dia. Apontam também a importância de moderar o consumo dessa bebida para a prevenção da hipertensão”, concluiu a pesquisadora Andreia Miranda.

A pesquisa teve o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Contou com a colaboração dos professores Alessandra Goulart, Isabela Benseñor e Paulo Lotufo, do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica do Hospital Universitário (HU) da USP e da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e da professora Dirce Marchioni, da FSP.