Cooxupé fará parte de projeto sustentável inovador na cafeicultura
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Cooxupé fará parte de projeto sustentável inovador na cafeicultura

Cooxupé fará parte de projeto sustentável inovador na cafeicultura

Lançamento do CNC, Mapa, Emater-MG e IICA visa a revitalização ambiental das bacias hidrográficas

2 minutos de leitura

A Cooxupé sediou, no dia 8 de dezembro, o lançamento do Programa Café Produtor de Água. O projeto sustentável inovador é uma iniciativa, do Conselho Nacional do Café (CNC). E tem o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/MG) e Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Primeiramente, o programa será implantado em modelo piloto na Cooxupé.

O projeto é uma estratégia construída com base na constante busca por sustentabilidade na cadeia produtiva do café. Bem como na necessidade de revitalização ambiental das bacias hidrográficas na quais estão inseridas as regiões produtoras.

Assim, trata-se de um serviço oferecido pelos produtores ao consumidor.

Projeto sustentável inovador

O objetivo é criar um ambiente favorável ao estabelecimento de parcerias entre entidades que atuam no segmento da cafeicultura. Para, assim, viabilizar a implementação de práticas e manejos para melhorar a cobertura vegetal. Assim, o objetivo é contribuir para o abatimento efetivo da erosão e da sedimentação. Como resultado, para o aumento da infiltração de água no solo.

Para o presidente da Cooxupé, é essencial para a cooperativa participar do piloto desse projeto. Principalmente por conta da importância de iniciativas para mitigar os efeitos da crise hídrica e dos eventos climáticos.

“É constante a nossa busca por soluções sustentáveis para que a Cooxupé permaneça cada vez mais saudável e competitiva frente aos desafios. Há alguns anos o clima vem atuando com grande influência na produção cafeeira e a seca interfere muito nos resultados de produção. Por isso, é preciso buscar ações e refletir sobre os momentos atuais”, diz.

“Ao estruturar um programa com viés ambiental e econômico, as entidades envolvidas adotam uma postura de vanguarda. Ou seja, contribuem com a sustentabilidade do café nacional, apontando a contribuição ambiental que o segmento pode dar à população brasileira. E, consequentemente, ao mundo, produzindo água e café de qualidade” conclui o presidente do CNC, Silas Brasileiro.