Demanda da China por café abre oportunidade para exportação brasileira
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Demanda da China por café abre oportunidade para exportação brasileira

Demanda da China por café abre oportunidade para exportação brasileira

Comércio eletrônico de alimentos como café e açaí cresce na China. Demanda deve ser foco de quem deseja exportar produtos de maior valor agregado

2 minutos de leitura

Além da soja, a China aumentou a demanda por café e açaí. Esse cenário abre oportunidades para exportadores brasileiros.

Entre 2015 e 2019, as exportações de café brasileiro para a China cresceram 110%, aponta o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

De acordo com a CEO da Yeshan, Natália Schultz, o comércio eletrônico fortalece essa demanda.

“A China é o primeiro país do mundo onde o volume de vendas do comércio eletrônico superou o do varejo físico”, disse Natália ao Comex Brasil. Ela também é vice-presidente do Instituto Jovem Exportador.

Assim, o mercado chinês está cada vez mais interessado em produtos brasileiros, como o café e o açaí. “Os preços chineses são bons e há oportunidades para as empresas brasileiras.”

Demanda da China por café

Por isso, a Yeshan e a Inovasia  reuniram um time de especialistas para aproximar empresas brasileiras do maior mercado de consumo do mundo.

Nesse sentido haverá um curso on-line com os passos para importar e exportar produtos para o mercado chinês.

Serão nove encontros, entre os dias 9 de setembro e 7 de outubro.

O curso “Comex: Foco China-Brasil – Encontre o cliente e o parceiro ideal no mercado chinês” mostrará dados culturais e empresariais. Os pontos são decisivos para criar boas parcerias locais.

Além disso, o curso vai detalhar os principais processos de exportação e importação.

Outros temas como pesquisa de mercado e criação de fornecedores de confiança, marketing e distribuição no mercado chinês também serão abordados.

Exportação

O curso também detalha como exportar para a China. O país que se interessa cada vez mais por itens como café, açaí e carnes do Brasil, por exemplo.

Natália, que tem experiência em negociar com empresas da China, será uma das convidadas do módulo “Negociação e Cultura”. Nessa palestra, a especialista abordará técnicas de negociação com parceiros chineses.

Por fim, o fundador da Inovasia, Felipe Zmoginski, fala sobre estratégias de marketing. Assim, vai mostrar como atrair clientes e formas de atuar no comércio eletrônico chinês.

Inscrições e informações estão no link.