Desempenho das cooperativas em 2021: exemplo de resiliência
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Desempenho das cooperativas em 2021: exemplo de resiliência

Desempenho das cooperativas em 2021: exemplo de resiliência

Crescimento do setor, que continuou forte mesmo diante do cenário desafiador da pandemia, mostra que o segredo está nos valores do cooperativismo

3 minutos de leitura

Após quase dois anos de pandemia, o desempenho das cooperativas em 2021 mostrou que elas foram grandes exemplos de resiliência. Isto porque continuaram seus trabalhos mesmo quando a incerteza tomou conta de todos. É o que apresenta a matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 103.

Assim, as cooperativas precisaram repensar processos, práticas e ainda, criar soluções. Isto para que o cooperado não saísse prejudicado diante da crise que se alastrou pelo Brasil e pelo mundo. E, tal força, está evidenciada em recentes rankings e estudos, que identificaram um aumento de participação das cooperativas no último ano.

O segredo do sucesso

Segundo a reportagem da Revista MundoCoop, muitos fatores podem ter sido os motivos para que o cooperativismo continuasse a crescer em 2021. Afinal, o setor continuou forte, enquanto grandes empresas fechavam as portas. Para Lúcio Faria, especialista em cooperativismo, o segredo está nos valores do movimento.

“Não podemos jamais nos esquecer das características intrínsecas: os princípios cooperativistas e a especificidade da reciclagem da poupança local: aplicação, na própria localidade, via operações de crédito, dos recursos ali captados, contribuindo para o desenvolvimento regional. Em relação ao perfil operacional, podemos destacar a presença em todo o território nacional, o aumento de cooperados e de unidades de atendimento. O cooperativismo manteve-se presente ou instalou-se em municípios onde os bancos fecharam agências”, destaca Faria à Revista MundoCoop – ressaltando em especial, o movimento visto nas cooperativas de crédito.

Apoio externo

Além de suas características únicas, o cooperativismo em 2021 contou com um forte apoio do mercado bem como da mídia. Ou seja, divulgações que disseminaram as práticas do movimento, e colocando-o como uma solução em meio à crise.

Não apenas as cooperativas estiveram presentes em veículos digitais, impressos e audiovisuais, como também foram constantemente lembradas em rankings, estudos e outros. Entre eles: Valor 1000, do jornal Valor Econômico; Melhores e Maiores 2021, da Exame e Anuário Época Negócios 360º, da revista Época.

Desempenho das cooperativas

A força das cooperativas diante da crise não foi vista apenas pelos próprios cooperados. Pois, ficou marcada pela presença massiva do movimento em rankings que mediram o desempenho do mercado em 2020/2021.

Cada vez mais presentes no mercado, a reportagem da Revista MundoCoop destaca que as cooperativas figuraram entre grandes empresas. Isto porque ocuparam posições de destaque nos já mencionados, rankings do Valor Econômico, Exame e Época.

No primeiro, 41 cooperativas encontraram espaço entre as 1000 maiores empresas do ano. Destaque para as cooperativas agro.

Para Emanuel Malta, economista e sócio fundador da Vértice Consultores, tais estudos são importantes ferramentas para o desenvolvimento das cooperativas. Pois, ajudam na definição de estratégias e traçam um panorama analítico do mercado.

Benefícios para o sistema

Mais do que um reconhecimento, os resultados identificados nos recentes estudos do mercado funcionam como uma grande prova da força do cooperativismo. Desconhecido por muitos e até visto com desconfiança por alguns, ao evidenciar os resultados do setor, a capacidade de captar cooperados apenas cresce. Criando no fim, pois, um resultado extremamente positivo.

“Além da melhoria da imagem do Sistema, esses resultados demonstram inequivocamente que o cooperativismo tem avançado na adoção das melhores práticas de gestão, governança, inovação e outros aspectos voltados à melhoria do desempenho das organizações, independentemente do regime societário, sem perder de vista os princípios e valores que são a sua marca”, ressaltou Malta em entrevista à MundoCoop.

Ligado às tendências

Para que haja uma análise fiel do que acontece no mercado, atentar-se aos temas da atualidade tem sido de vital importância para medir o impacto e a expansão das cooperativas. E dentro os temas que mais estiveram em evidência no último ano, está o ESG.

Mesmo antes da pandemia, a sustentabilidade já vinha em uma crescente dentro de empresas, corporações e cooperativas. Hoje, o tema é indispensável nas organizações. Junto com as práticas sociais e de governança, que foram fundamentais para a blindagem do setor diante da pandemia.

A importância do ESG também está em evidência em estudos recentes, sendo um tema usado como parâmetro para medir as melhores empresas do mercado. Este é o caso do ranking Melhores e Maiores 2021, da revista Exame; que coloca entre seus medidores, o uso das práticas ESG. Neste quesito, o cooperativismo se destacou com a Cooperativa Cooxupé, que recebeu a nota 10 nas métricas relacionadas a práticas ambientais, sociais e de governança.

Por fim, em entrevista divulgada na época do anúncio, o presidente da cooperativa, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, destacou a missão diante da agenda sustentável. E, também, salientou a importância de inserir a sigla nas cooperativas.

“Entendemos a relevância do ESG e reforçamos aos nossos cooperados de que este tripé já vem sendo cumprido na Cooxupé. Analisamos parâmetros e ações da cooperativa, de modo que a Cooxupé permaneça cada vez mais saudável e competitiva frente aos desafios e dinamismo do mercado. Isto nos traz solidez, com credibilidade reconhecida, pois somos uma cooperativa que cumpre seriamente os fatores de sustentabilidade ambiental, social e econômica”, afirmou.