Embrapa aprova regras para funcionamento do Consórcio Pesquisa Café
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Embrapa aprova regras para funcionamento do Consórcio Pesquisa Café

Embrapa aprova regras para funcionamento do Consórcio Pesquisa Café

Reunião oficializou regimento interno da entidade, que existe desde 1997

2 minutos de leitura

O Conselho Diretor da Embrapa aprovou, em reunião ordinária no 29 de junho, a regulamentação do Consórcio Pesquisa Café, que existe desde março de 1997. No entanto, não contava com regras definidas para o funcionamento.

Dessa forma, o regimento será submetido ao Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), que faz parte da estrutura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e vai ter regras definidas para a organização e funcionamento.

Cafeicultura mais sustentável

Na abertura do encontro, o presidente da Embrapa, Celso Moretti, que preside o Conselho Diretor do Consórcio, enfatizou, pois, os pontos para tornar a cafeicultura mais competitiva e sustentável.

Nesse sentido, ele citou a descarbonização da produção, pensando nas mudanças climáticas. Comentou, ainda, sobre a agricultura digital, com utilização de internet das coisas (IOT, na sigla em inglês), do uso de drones e de outras tecnologias digitais, englobando os conceitos da biorrevolução, com a utilização de ferramentas de edição gênica. 

O chefe-geral da Embrapa Café, Antônio Fernando Guerra, também exaltou a regulamentação do Consórcio, reforçando, assim, que o setor cafeeiro cresce em produção e em representatividade. “Os números acompanham a crescente alta no consumo mundial de café, o que torna o trabalho do Consórcio cada vez mais relevante”.

A produção brasileira do grão passou, pois, de 18,9 milhões de sacas em 1997 para 47,7 milhões em 2021, com projeção de alcançar 55,7 milhões na safra atual.

Consórcio Pesquisa Café

O Conselho Diretor do Consórcio Pesquisa Café é composto por 10 instituições, reconhecidas pela excelência na área de ensino, pesquisa e transferência de tecnologia em café. E que, acima de tudo, estão unidas por canais de intercâmbio científico.

São elas: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig); Instituto Agronômico (IAC); Instituto Agronômico do Paraná (Iapar); Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro-Rio); Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); Universidade Federal de Lavras (Ufla); e Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Projetos de Pesquisa

De maneira idêntica, o Consórcio conta ainda com a colaboração de instituições que estão situadas nos principais estados produtores do grão. Além também do amparo do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) que auxilia nas pesquisas para a rede.

Para se ter uma ideia, atualmente, o Consórcio Pesquisa Café conta com 98 projetos de pesquisa em andamento, que atendem aos temas estratégicos estabelecidos para o PNP&D/Café.

No entanto, a maior parte dos trabalhos (25,3%) está voltada ao melhoramento genético de cafeeiros focados em aumento da qualidade e resistência a pragas, doenças e à seca, dentre outros. Já pesquisas relacionadas às mudanças climáticas e sistemas de produção são o foco de 18,9% dos projetos.

Por fim, há também projetos relacionados ao fortalecimento de bancos de germoplasma; à irrigação; ao desenvolvimento de novos produtos à base de café e de embalagens; e à adaptabilidade da produção para Indicação Geográfica.

Como resultado, o Consórcio Pesquisa Café conta com cerca de 450 ações de pesquisas, realizadas com a participação de mil profissionais.