Estudo afirma que café reduz o risco de problemas no fígado
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Estudo afirma que café reduz o risco de problemas no fígado

Estudo afirma que café reduz o risco de problemas no fígado

Beber até três ou quatro xícaras de café com cafeína ou descafeinado por dia diminui o risco de desenvolvimento de doenças crônicas

2 minutos de leitura

Pesquisa divulgada pela CNN mostra mais benefícios do café. Apreciadores de café apresentaram 21% menos probabilidade de desenvolver doença hepática crônica; 20% menos probabilidade de desenvolver doença hepática crônica ou gordurosa (esteatose hepática); e 49% menos probabilidade de morrer de doença hepática crônica em relação aos que não bebiam café.

O estudo foi publicado no jornal BMC Public Health e pode ser conferido aqui.

Em um comunicado, o autor do estudo,  Dr. Oliver Kennedy, disse que o café é amplamente acessível e, além disso, os benefícios detectados no estudo podem significar que ele pode oferecer um potencial tratamento preventivo para doenças crônicas do fígado.

Por isso, trata-se de uma ótima oportunidade para países com renda mais baixa e pior acesso à saúde.

Benefícios

Segundo a reportagem, o estudo examinou o consumo de café entre 494.585 participantes do UK Biobank. Trata-se de um banco de dados biomédico e de recursos de pesquisa, acompanhando-os por quase 12 anos.

Enquanto o benefício máximo foi observado no grupo que bebeu café com cafeína ou descafeinado moído, os bebedores de café instantâneo também viram alguns benefícios.

Além disso, a CNN ainda conta sobre um estudo publicado em fevereiro que descobriu que beber uma ou mais xícaras de café preto com cafeína por dia estava associado a um risco reduzido de insuficiência cardíaca em longo prazo.

O café também demonstrou reduzir o risco de diabetes tipo 2, doença de Parkinson, câncer de próstata, Alzheimer, esclerose múltipla, melanoma e outros cânceres de pele. Além disso, reduz os níveis de cálcio nas artérias coronárias. 

Já um estudo anterior de Kennedy, no entanto, também descobriu que beber café reduzia o risco de câncer hepatocelular, a forma mais comum de câncer de fígado.

Alerta sobre os aditivos

Importante lembrar que a maioria dos estudos é feita sobre como beber café preto. Os adicionais – laticínios, açúcares, sabores ou cremes não lácteos – provavelmente anula qualquer benefício para a saúde cardíaca.

Na maioria dos estudos, a xícara de café tem cerca de 237 ml.

Câncer de fígado

De acordo com a reportagem da CNN, os fatores de risco para doença hepática incluem álcool, obesidade, diabetes, tabagismo, infecções por hepatite B e C e doença hepática gordurosa não alcoólica, que é o acúmulo de gordura extra nas células do fígado que não é causado pelo consumo de álcool.

Já as causas do câncer de fígado incluem diabetes e doenças não alcoólicas do fígado, bem como pelo consumo excessivo de álcool ou por infecções por hepatite B e C.

Um estudo de 2018 encontrou um aumento de 75% nos casos de câncer de fígado em todo o mundo entre 1990 e 2015. É o sexto tipo de câncer mais comum.