Estudo aponta que CO2 alto altera compostos fenólicos da folha do café - hubdocafe.com.br
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Estudo aponta que CO2 alto altera compostos fenólicos da folha do café

Estudo aponta que CO2 alto altera compostos fenólicos da folha do café

A pesquisa desenvolvida pela Embrapa observa a necessidade de se considerar a variabilidade natural das defesas das plantas para o manejo fitossanitário dos cafezais

2 minutos de leitura

Um grupo de pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente e do Instituto Biológico observou os efeitos do CO2 atmosférico nos compostos fenólicos em cafeeiros, que são sintetizados pelas plantas em resposta a pressões ecológicas como ataque de patógenos e insetos, a radiação UV e às lesões.  

O estudo realizado, pela primeira vez em um equipamento raro no hemisfério sul, o chamado FACE (sigla do inglês Free-Air Carbon Dioxide Enrichment), que constitui em uma área experimental a céu aberto com enriquecimento do ar com dióxido de carbono (o CO2), aponta que é necessário considerar a variabilidade natural das defesas das plantas para o manejo fitossanitário dos cafezais.

De acordo com publicação da Embrapa, no caso do cultivo cafeeiro, por exemplo, a alteração de componentes fitoquímicos que são baseados em carbono, como os fenólicos, pode modificar a interação das plantas com os insetos herbívoros.

Experimento

Os cientistas da Embrapa Meio Ambiente e do Instituto Biológico estudaram essa interação entre CO2 e variabilidade climática natural e seus efeitos na química vegetal e na interação com insetos herbívoros, além de analisar possíveis alterações na quantidade e composição de compostos fenólicos foliares de cafeeiros e as relações com abundância e diversidade de ácaros. 

Durante o experimento, foram investigados os efeitos do aumento de CO2 e da variação climática local em plantas jovens de café das cultivares Catuaí vermelho IAC-144 e Obatã vermelho IAC-1669-20. As plantas foram cultivadas na unidade FACE, no campo experimental da Embrapa Meio Ambiente, sob duas condições atmosféricas: normal e enriquecida com CO2. Folhas de café foram avaliadas quanto aos fenólicos solúveis totais (TSP), ácido clorogênico (5-CQA) e cafeico (CAF), diversidade e tamanho populacional de ácaros, ao longo de duas estações secas e duas chuvosas. O CO2 atmosférico elevado diminuiu significativamente o 5-CQA no Catuaí, mas não afetou o Obatã. 

Resultados

Os resultados mostraram que os níveis de compostos fenólicos foram maiores durante a estação chuvosa do que na estação seca, mas não ocorreu interação com o CO2. Em geral, altos níveis de fenólicos foram negativamente correlacionados com a abundância de ácaros, enquanto a diversidade foi negativamente correlacionada com os níveis de 5-CQA e TSP. A riqueza de espécies e o tamanho da população de ácaros nas folhas do café não foram afetados pelo aumento do CO2, mas foram fortemente relacionados à variabilidade sazonal dos fenólicos da folha do café. 

O estudo da equipe de pesquisadores, intitulado “O aumento do CO2 atmosférico combinado com a variação climática local afeta os fenólicos e as populações de ácaros nos cafeeiros”, foi publicado em um artigo na revista Anais da Academia Brasileira de Ciências que está disponível na plataforma Scielo.