Exportação de café em nível mundial totaliza 65,4 milhões de sacas - hubdocafe.com.br
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Exportação de café em nível mundial totaliza 65,4 milhões de sacas

Exportação de café em nível mundial totaliza 65,4 milhões de sacas

O relatório da OIC (Organização Internacional do Café) revela que, no período entre outubro de 2020 e março de 2021, o café arábica representou 64% do volume exportado

2 minutos de leitura

O total das exportações de café, em nível mundial, alcançou o patamar de 65,4 milhões de sacas no semestre, que envolve o período de outubro de 2020 a março de 2021, representando um aumento de 3,5% diante da marca de 63,2 milhões de sacas no mesmo período do ano-cafeeiro anterior.

Os dados divulgados pela Embrapa com base no Relatório sobre o Mercado de Café da OIC (Organização Internacional do Café), aponta ainda que somente no mês de março de 2021, o volume foi de 11,94 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um aumento de 2,4%, se comparado com as 11,66 milhões de sacas exportadas em março de 2020.

O levantamento destaca ainda que o aumento das exportações globais foi impulsionado pela venda de cafés verdes, que tiveram um crescimento de 4,3%, totalizando 59,32 milhões de sacas. Em contrapartida, as exportações de café solúvel e café torrado registraram queda de 3,4% e 4%, em comparação com o mesmo período anterior, ao totalizarem 5,72 milhões e 336,17 mil sacas, respectivamente.

Regiões exportadoras

Conforme o Relatório da OIC, o desempenho das exportações dos blocos regionais durante os primeiros seis meses do atual ano-cafeeiro (outubro de 2020 a setembro de 2021), comparado com o mesmo período anterior, demonstra que as vendas de café da África caíram 8,9%, ao atingirem 5,96 milhões de sacas, além de quedas na produção da Etiópia (28,5%), Costa do Marfim (49%) e Quênia (9,5%).
No caso da Ásia & Oceania, também importantes regiões produtoras de café em nível mundial, foi registrada uma queda de 6,3% nas exportações que atingiram 19,3 milhões de sacas. No Vietnã, segundo maior produtor em nível mundial e maior produtor dessa região, a redução foi de 13,2%, com 12,58 milhões de sacas vendidas.

No México e América Central foi notada uma diminuição de 12,2%, com a totalização de 6,06 milhões de sacas. Em Honduras, maior produtor da região, ocorreu uma queda de 20,9%, com 2,19 milhões de sacas.

A América do Sul foi o único bloco regional a apresentar aumento nas exportações de café nos primeiros seis meses do referido ano-cafeeiro 2020-2021 atingindo 33,74 milhões de sacas, o que representa um crescimento de 17%, sendo que as exportações da Colômbia cresceram 3,5%, com 7,09 milhões de sacas, o Equador se manteve estável, com aproximadamente 1,75 milhão de sacas, e os Cafés do Brasil, maior produtor e exportador do mundo, apresentaram aumento de 23,3% ao atingirem 24,66 milhões de sacas, no citado período.

No caso do Brasil, o desempenho positivo das exportações, conforme o Relatório da IOC, pode ser atribuído principalmente ao fato da produção em um ano de bienalidade positiva do café arábica.