Brasil exportou 3,1 milhões de sacas de café em setembro
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Brasil exportou 3,1 milhões de sacas de café em setembro

Brasil exportou 3,1 milhões de sacas de café em setembro

Segundo dados do Cecafé, desempenho mostra queda de 26,5% em volume, mas leve avanço de 0,5% em receita cambial

3 minutos de leitura

As exportações brasileiras de café totalizaram 3.111.905 sacas de 60 kg e renderam US$ 518,2 milhões em setembro deste ano. Os dados da exportação de café são do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Portanto, o desempenho indica queda de 26,5% em volume na comparação com o mesmo mês de 2020. Por outro lado, houve um leve avanço de 0,5% em receita cambial.

Exportação de café

Segundo o Cecafé, a evolução no ingresso de divisas reflete as altas cotações da commodity no mercado internacional. Assim, o preço médio das remessas foi de US$ 166,52 por saca, 36,7% acima dos US$ 121,79 aferidos em setembro do ano passado.

Com o resultado, as exportações de café do país, nos três primeiros meses do ano safra 2021/22, chegaram a 8,817 milhões de sacas. Assim, ficando 20,2% aquém do apurado entre julho e o final de setembro de 2020, quando o Brasil remeteu 11,048 milhões de sacas ao exterior.

Em receita, contudo, houve crescimento de 3,3% no intervalo, com os embarques rendendo US$ 1,367 bilhão até o momento, o melhor desempenho das últimas cinco temporadas.

Ano

No acumulado dos nove primeiros meses de 2021, o desempenho é similar. As exportações brasileiras totais de café somaram 29,759 milhões de sacas e renderam US$ 4,172 bilhões, apresentando queda de 4,1% em volume, mas incremento de 6% em receita cambial.

Contexto

Assim, segundo o presidente do Cecafé, Nicolas Rueda, o recuo nos embarques de café do país resulta ainda de entraves logísticos no comércio marítimo no mundo.

“Não há mudanças no cenário. Seguimos com intensa disputa por contêineres e espaço nos navios. E, ainda nos deparando com sucessivos cancelamentos de bookings, rolagens de cargas e frete extremamente custoso”, diz.

Ainda conforme Rueda, o fato do Brasil ter exportado mais de 3,1 milhões de sacas em setembro, e mantido desempenho satisfatório na safra e no ano civil, reflete o exímio trabalho que as áreas logística e comercial dos exportadores vêm realizando.

Ele explica que os entraves logísticos são um problema estrutural que vão muito além do café e do Brasil.

“Esses gargalos impactam o segmento exportador no mundo todo, em especial o de commodities, e continuam desafiando os planejamentos dos exportadores, assim como dos importadores no destino, com demoras logísticas que interferem no fluxo financeiro e na geração de receita cambial das empresas”, comenta.

Principais destinos

Os Estados Unidos permaneceram como os principais importadores do café brasileiro de janeiro a setembro deste ano, com a aquisição de 5,674 milhões de sacas, volume praticamente estável em relação às 5,682 milhões adquiridas no mesmo intervalo em 2020. Ou seja, esse volume representou 19,1% das exportações totais do Brasil até o momento.

A Alemanha, com representatividade de 16,8%, importou 5,006 milhões de sacas (-4,2%) e ocupou o segundo lugar no ranking. Logo depois, vieram Bélgica, com a compra de 2,030 milhões de sacas (-17,3%); Itália, com 2,026 milhões (-11,9%); e Japão, com a aquisição de 1,881 milhão de sacas (+17,8%).

Segue em evidência a Colômbia, país também produtor, que ocupa a sétima colocação no ranking dos principais importadores de café do Brasil.

Tipos de café

O café arábica foi o mais exportado entre janeiro e setembro de 2021, com o envio de 23,831 milhões de sacas ao exterior, o que correspondeu a 80,1% do total. Por outro lado, a variedade canéfora (robusta + conilon) registrou o envio de 2,995 milhões de sacas ao exterior, respondendo por 10,1% do total.

Em seguida, vieram os segmentos do produto solúvel, que embarcou 2,900 milhões de sacas (9,7%), e do café torrado e torrado e moído, com 32.684 sacas (0,1%).

Portos

O complexo marítimo de Santos (SP) permaneceu como o principal exportador dos cafés do Brasil em 2021, com o envio de 22,832 milhões de sacas, o que equivaleu a 76,7% do total. Em seguida, vieram os portos do Rio de Janeiro, que responderam por 16% dos embarques ao remeterem 4,773 milhões de sacas até setembro, e Vitória (ES), com o envio de 901 mil sacas ao exterior, respondendo por 3%.

O relatório completo das exportações de café em agosto de 2021 está disponível no site do Cecafé.