Exportação de café do Brasil acumula queda de 6,3% em 2021
close
Exportação de café do Brasil acumula queda de 6,3% em 2021

Exportação de café do Brasil acumula queda de 6,3% em 2021

País embarcou 33,3 milhões de sacas até o fim de outubro; por outro lado, receita cambial cresceu 7% no período

2 minutos de leitura

As exportações de café feitas pelo Brasil chegaram a 3.431.172 sacas de 60 kg em outubro. Ou seja, queda de 23,8% em relação às 4.504.059 sacas registradas no mesmo mês do ano passado.

Por outro lado, em receita cambial, os embarques avançaram 11,3% na mesma comparação, saltando de US$ 564,7 milhões para os atuais US$ 628,5 milhões.

Os dados constam no relatório estatístico mensal do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Exportação de café

O desempenho do mês passado elevou as remessas do país a 33.274.973 sacas no acumulado do ano, gerando US$ 4,815 bilhões. Essa performance representa declínio de 6,3% em volume, porém alta de 7% em receita frente à movimentação conferida entre janeiro e o fim de outubro de 2020.

Ano safra

No ano safra 2021/22, o desempenho é similar, com os embarques recuando 20,7%, para 12,331 milhões de sacas, porém com a receita avançando 6,5%, a US$ 2,011 bilhões, entre julho e outubro.

“A queda no volume das exportações reflete a continuidade dos conhecidos gargalos logísticos no comércio marítimo mundial”, diz Nicolas Rueda, presidente do Cecafé.

Assim, o cenário é preocupante porque especialistas do setor apontam que esses entraves devem se arrastar durante 2022. Isso porque há grande volume dos produtos agrícolas brasileiros acumulados nos portos. Bem como as safras que são escoadas a partir do segundo semestre.

Outra preocupação apontada por Nicolas Rueda no que se refere aos gargalos na logística é a elevação dos custos.

“Eles têm contribuído para as fortes altas nos índices de inflação, gerado indisponibilidade de insumos essenciais ao agronegócio no Brasil e uma escalada nos preços que começa a preocupar os produtores como um todo. Logicamente, o setor cafeeiro não é poupado dessas aflições.”

Receita cambial

Frente ao desempenho positivo registrado na receita cambial com as exportações da commodity, o presidente do Cecafé informa que resulta do contexto mercadológico.

“Apesar da queda em volume, a geração de divisas para o Brasil com os embarques tem importantes crescimentos, que se justificam pela elevação das cotações internacionais do café, assim como pelos atuais níveis do dólar”, pontua.

Principais destinos

No acumulado de 2021 até o fim de outubro, o Brasil exportou café para 119 países.

Os Estados Unidos seguem como os principais importadores do produto, com a aquisição de 6,468 milhões de sacas, montante praticamente estável em relação às 6,489 milhões adquiridas no mesmo intervalo em 2020. Assim, esse volume representou 19,4% dos embarques totais do país até o momento.

O relatório completo das exportações de café em outubro de 2021 está disponível no site do Cecafé.

Confira os dados sobre exportação de café nos meses anteriores: