Fenômeno La Niña está de volta e ainda mais intenso
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Fenômeno La Niña está de volta e ainda mais intenso

Fenômeno La Niña está de volta e ainda mais intenso

Pacífico está muito mais frio que o normal para a estação do outono

3 minutos de leitura

Conforme informações do portal MetSul Meteorologia, o pacífico está muito mais frio que o normal para esta época do ano. Apontando, assim, risco de eventos extremos de frio durante o inverno. Quando existe um evento de La Niña há também uma tendência da Terra esfriar. Ou, na fase atual, de apresentar aquecimento menor do que haveria se estivesse sob El Niño. E nenhum evento é igual ao anterior.

Fenômeno

A La Niña é um fenômeno que se identifica pelo resfriamento das águas superficiais da faixa equatorial do Oceano Pacífico. Com a alteração do regime de vento na região que impacta o padrão de circulação geral da atmosfera em escala global, inclusive no Brasil.

No dia 09 de maio foi publicado no boletim da Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) (agência climática do governo dos Estados Unidos), que o fenômeno La Niña prossegue no Oceano Pacífico Equatorial. E, inclusive, ganha força com valores de anomalias de temperatura do mar em índices tão negativos que nesta época do ano não eram observados há pelo menos duas décadas.

Dessa forma, este ano, o fenômeno estará presente durante toda estação do outono, estima-se que continue no inverno e se estenderá por vários meses. A região Niño 3.4 é utilizada, pois, para classificar se existe a possibilidade de El Niño ou La Niña. Sendo que o valor de -1,2ºC observado na última semana está compreendido na faixa de intensidade moderada para La Niña. Que vai de -1,0ºC a -1,4ºC.

Já a irregularidade da temperatura da superfície do mar no Pacífico Equatorial Leste foi de -1,5ºC na última semana. O valor está dentro da faixa de forte intensidade que vai de -1,5ºC a -1,9ºC.

De outro modo, no inverno podem acontecer chuvas volumosas além da temperatura baixa, como foi no Sul do país alguns dias atrás. A ação da La Niña no inverno favorece fortes incursões de ar frio, com maior influência nas temperaturas invernais negativas.

A mais forte das últimas duas décadas

Este desempenho do fenômeno La Niña não é comum de se observar. E iniciou em agosto do ano passado.. Após isto, a La Niña perde a intensidade e há uma transição para neutralidade no outono do ano seguinte.

O que era comum antes, não é o que acontece em 2022. Isso porque La Niña ganhou força agora no outono e fazia muito tempo que o Pacífico não se encontrava tão frio na região equatorial nesta mesma época em anos anteriores. Isto de acordo com os dados da série histórica mantidos pela NOAA.

O desequilíbrio semanal foi divulgado no mês de abril, que atingiu -1,1ºC para a região Niño 3.4 e foi a mais fria em uma semana para o mês desde 1999. Já a anomalia do Pacífico Equatorial Central divulgada nesta semana é de -1,2ºC. A menor em uma semana de maio desde o ano 2000, portanto há 22 anos. Valores tão baixos de temperatura para o Pacífico Equatorial nesta época do ano ocorreram poucas vezes na série histórica das últimas décadas. Conforme a base de dados da NOAA, o Pacífico estava muito frio entre abril e maio, como agora, com anomalias no limite de moderada a forte intensidade.

Fenômeno persistirá por meses

O atual episódio deste fenômeno está longe de terminar, pois o fenômeno atuará até o fim do outono e seguirá durante todo o inverno. De acordo com os dados mais recentes, a probabilidade de perdurar até a primavera é grande.

Assim, para julho a setembro, 47% de La Niña e 48% neutro. Entre agosto e outubro, 49% de La Niña e 44% de neutralidade. De setembro a novembro, o trimestre da primavera, 54% de La Niña e 38% de probabilidade de neutralidade. Entre outubro a dezembro, 54% de La Niña e 36% de neutro. Por fim, entre novembro e janeiro, no período crítico para o milho, 48% de La Niña e 38% de neutralidade.