Pó de café vira adubo e fertilizante para plantas
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Pó de café vira adubo e fertilizante para plantas

Pó de café vira adubo e fertilizante para plantas

Ao invés de descartar a borra após o preparo do café, é possível reaproveitá-la em hortas e jardins; saiba como

2 minutos de leitura

Para estimular o crescimento e a produção de plantas há muitas opções naturais e dicas caseiras. E boa parte delas a partir do reaproveitamento de alimentos, como o pó de café.

Assim, uma opção é a utilização do pó de café como adubo. Além de ser uma estratégia econômica, é também eficiente e com benefícios comprovados. Isto porque pela capacidade de nutrir e enriquecer o solo, conforme dicas compartilhadas em matéria especial no Casa Agro.

Como fazer

De acordo com o portal, existem diferentes técnicas para fazer o adubo em versão líquida ou sólida. Para a versão líquida, é necessário misturar aproximadamente 250 gramas de café com 10 litros de água. Depois de um repouso de 24 horas, basta coar a solução, colocá-la em pulverizador e borrifar as plantas cujo desenvolvimento você pretende estimular.

Já para produzir a versão sólida, você utilizará menos água, com o resultado parecido a uma espécie de pasta. Após adquirir a consistência desejada, basta espalhar o adubo no solo, o mais próximo possível das plantas. O adubo feito com o pó de café beneficia as plantas  pois estimula o crescimento, floração e frutificação das plantinhas.

Cuidados na utilização

Há também outras formas usuais de como aproveitar o pó de café. Mas, em todas elas há alguns cuidados, como informa o portal do Tecno Notícias. Confira:

A pessoa precisa estar atenta ao fato de nunca aplicar a borra ao solo sem que antes se misture a outros fertilizantes, ou sem que sejam misturados ao solo. Caso isso aconteça, o efeito pode ser contrário e comprometer a saúde do seu cultivo.

Também recomenda-se equilíbrio quanto a aplicação, pois a presença de cafeína no fertilizante pode interferir na geminação da semente, se utilizado de maneira excessiva, além de contribuir para a impermeabilização do solo, dificultando o acesso da água.