Procedência e qualidade: conheça mais sobre cafés especiais
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Procedência e qualidade: conheça mais sobre cafés especiais

Procedência e qualidade: conheça mais sobre cafés especiais

Atributos sensoriais diferentes e alto valor agregado ao cafeicultor; saiba mais sobre os cafés especiais

3 minutos de leitura

Padrões de qualidade e rastreabilidade; procedência; critérios de sustentabilidade ambiental, econômica e social em todas as etapas de produção, além de cuidados que resultam em grãos de café isentos de impurezas. Sabia que todos esses pré-requisitos são necessários para que se obtenha cafés especiais, o que gera um alto valor agregado para o produtor?

O café para ser considerado especial precisa obter uma nota acima de 83 pontos na metodologia da BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais). Isso quer dizer que, muito além da ausência de impurezas, os cafés especiais possuem atributos sensoriais que se diferenciam dos demais. Ou seja, a bebida é limpa e doce, e possui corpo e acidez equilibrados. Nessa classificação são avaliadas características como fragrância, aroma, uniformidade, amargor e sabor residual.

De acordo com a BSCA, os cafés especiais representam uma fatia importante de toda a produção cafeeira no país. Em média, nas últimas safras, de 20% do total produzido, número que deve expandir ainda mais. Isso porque o mercado para cafés especiais está em franca expansão. Bem como cada vez mais consumidores querem saber a procedência dos grãos e valorizam a qualidade presente em todas as etapas.

Aumento de produção

Em 2021, 47,7 milhões de sacas de 60 kg é a estimativa para a safra de café do Brasil. Ante 46,9 milhões no levantamento divulgado em setembro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Desse total, pode-se projetar que a produção de cafés especiais foi levemente superior a 9,5 milhões de sacas, segundo a BSCA. Além disso, desse volume estimado, entre 1 e 1,5 milhão de sacas ficaram para o consumo interno, e o restante seguiu para exportação.

De acordo com a BSCA, a produção desse tipo de café vem crescendo vertiginosamente, em média 15% nos últimos cinco anos.

Alguns dos fatores que explicam o crescimento do mercado de cafés especiais são o trabalho de estímulo à produção e a capacitação de produtores; qualificação de baristas; bem como o desejo de consumidores que têm buscado vivenciar novas experiências gustativas através de cafés de excelência.

Concursos e Premiações

Um dos principais concursos que promovem comercialmente os cafés especiais brasileiros no mercado externo é o Cup of Excellence. Ele é desenvolvido pela BSCA em parceria com a Apex-Brasil. Criado em 1999, o Cup integra as ações do projeto setorial Brazil. The Coffee Nation.

“O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade. Além disso, expor ainda os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais. Assim, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros”, completa Vanusia Nogueira, diretora da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e, recentemente designada como diretora executiva da Organização Internacional do Café (OIC). A decisão foi tomada pelos países-membros do principal organismo global cafeeiro, nos dias 9 e 10 de fevereiro. Em votação durante a 131ª Sessão do Conselho Internacional do Café.

Especialíssimo

Já a Cooxupé e a SMC Specialty Cofees criaram o Programa Especialíssimo em 2016. Como incentivo e promoção do café especial produzido por cooperados das regiões do Sul de Minas, Cerrado Mineiro, Média Mogiana de São Paulo e Matas de Minas.

Em 2021, 59.9 mil sacas de cafés especiais entraram no ranqueamento, ou seja, um crescimento de 20% diante das 49,9 mil recebidas no ano anterior. Os números expressivos reforçam também o aumento na participação dos cooperados, que foi 63% maior, sendo 703 em 2021 ante 431 na edição passada.  Para ser selecionado pelo programa, os lotes precisam apresentar índice de qualidade acima de 83 pontos.

Ao considerar os resultados totais do Programa – incluindo os cafés que não integraram o ranking de premiação – o Especialíssimo recebeu em 2021 mais de 74 mil sacas de cafés especiais e mais de 1,5 mil lotes. Esses cafés foram entregues na Cooxupé e SMC.

“A cada ano registramos maior participação das famílias associadas. Isso demonstra o quanto os produtores estão cada vez mais ligados a oportunidades que agregam valor às suas atividades. Estamos muito contentes em oferecer aos nossos produtores a possibilidade de estar presente no mercado de cafés especiais. Já que traz maior evolução e rentabilidade”, afirma o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo.