Projeto de agricultura regenerativa da Cooxupé vence programa da Bayer
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Projeto de agricultura regenerativa da Cooxupé vence programa da Bayer

Projeto de agricultura regenerativa da Cooxupé vence programa da Bayer

Multinacional investirá R$ 3 milhões em trabalhos de cooperativas para fomentar inovação e sustentabilidade no agro

3 minutos de leitura

Um projeto de inovação da Cooxupé vence o programa da Bayer, assim como um projeto de sustentabilidade da Coopercitrus. Tais trabalhos são os vencedores da primeira edição do Coopera+ Impulsão.

A iniciativa faz parte, pois, do programa de relacionamento da Bayer com o sistema cooperativista.

Dessa forma, a multinacional de saúde e nutrição apoiará o desenvolvimento de projetos com potencial de gerar impacto positivo para a agricultura e as comunidades ao redor.

Assim, a escolha contemplou dois eixos temáticos: Inovação e Sustentabilidade.

Aporte

Cada um dos dois projetos vencedores contará com um aporte de R$ 1,5 milhão para auxílio na implementação, além de consultoria especializada.

Em princípio, os trabalhos passaram por um período de imersão no LifeHub, hub de inovação aberta da Bayer, com outras oito cooperativas finalistas. Todas elas apresentaram seus projetos para a avaliação de uma banca de especialistas do mercado.

“É preciso um esforço colaborativo para superar os desafios da agricultura e torná-la mais sustentável e produtiva. O propósito do LifeHub é justamente fomentar a inovação aberta, em um espaço dedicado ao ecossistema de co-criação. A parceria das cooperativas nesse processo é sem dúvidas muito importante”, afirma Fernanda Vieira, especialista de inovação do LifeHub SP.

Cooxupé vence programa da Bayer

A Cooxupé vence o programa da Bayer na categoria Inovação. O projeto selecionado foi “Sustenta Mais: Agricultura Regenerativa”. Criado pela cooperativa, contou com a parceria da startup Quanticum e do polo de pesquisas EMBRAPPI no IFSULDEMINAS. O objetivo é, pois, mapear a saúde do solo em 80 fazendas, totalizando 10 mil hectares de lavouras de café. Por meio de inteligência artificial, a iniciativa gera, assim, uma análise que apoia a tomada de decisão do produtor rural, a produtividade e o sequestro de carbono no solo.

A proposta do projeto é transformar a agricultura tropical e ajudar o produtor a alcançar maior eficiência e sustentabilidade. Isto com base em soluções ecossistêmicas do solo, que é onde tudo começa. Permitindo, pois, diagnosticar e regenerar no ultra detalhe. A nova fase do projeto, que iniciou em 2022, contemplará 15 fazendas representativas dos mais de 17 mil cooperados da Cooxupé.

“O diferencial do projeto “Sustenta Mais: Agricultura Regenerativa” é possibilitar a tomada de decisão com base em parâmetros técnico-científicos. Muito se fala em agricultura regenerativa, pegada de carbono, mas quando temos que orientar o cafeicultor para o melhor manejo, ainda não tínhamos como fazer isto de modo pragmático. Por meio deste projeto, conseguiu-se aliar algumas tecnologias desenvolvidas para os solos/regiões tropicais, possibilitando o uso mais racional de insumos, bem como estratificar as glebas de maior potencial produtivo e de qualidade final do café. Isto traz benefícios para toda a cadeia produtiva do café brasileiro”, comenta Mário Ferraz de Araújo, gerente do Departamento de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé.   

Eixo Sustentabilidade

Já no eixo temático Sustentabilidade, o projeto vencedor garante a dosagem correta dos defensivos químicos. Isto porque para evitar o manuseio dos produtos e inibir riscos de contaminação humana e do meio ambiente.

A Coopercitrus é a idealizadora da iniciativa “Calda Inteligente”, que facilitará o controle e a rastreabilidade do que é adicionado ao tanque de pulverização, de acordo com o receituário agronômico da recomendação.

“Será uma nova era na agricultura, com a acurácia do uso dos agroquímicos como foram concebidos. De um lado temos produtos de ponta com desenvolvimento de moléculas complexas e de outro máquinas evoluídas em tecnologia e gestão de dados. Faltava resolver o gargalo da operação de mistura, que faz o abastecimento desses produtos com as máquinas de forma manual e passível de erros”, explica Marcelo Henrique Bassi – Superintendente de Tecnologia Agrícola Coopercitrus.

Transformação digital

Para Laura Deus, gerente de acesso ao mercado da Bayer Brasil para Cooperativas, a jornada rumo à transformação digital no agronegócio requer, assim, colaboração. “Inovar através da co-criação é um caminho inevitável e estamos vendo uma mobilização cada vez maior de cooperativas e empresas em busca de soluções de impacto no setor”, conta.

“Para a Bayer, é uma grande satisfação poder apoiar diferentes etapas do processo de viabilização de novas ideias, sempre com o objetivo de tornar a agricultura mais eficiente e sustentável”, afirma Laura.

“O cooperativismo é fundamental para a criação de um ecossistema de inovação no setor e para levar conhecimento aos produtores rurais. Sem dúvidas vemos muito potencial para iniciativas transformadoras”, completa.