Seguro Rural apresenta cenário positivo para 2021 e 2022
Previsão do Tempo
close
Previsão do Tempo
Seguro Rural apresenta cenário positivo para 2021 e 2022

Seguro Rural apresenta cenário positivo para 2021 e 2022

Artigo elaborado pela Allianz Seguros aponta que não faltam dados favoráveis para descrever o atual contexto do Seguro Rural no país. Setor sólido e eficiente contribui

2 minutos de leitura

Dados favoráveis não faltam para descrever o atual contexto do seguro Rural no país, em especial, pelo fato de estar atrelado a um setor sólido e eficiente: o agronegócio.

Na contramão das demais áreas da economia brasileira, este setor registrou crescimento recorde de 24,3% em 2020, segundo a CNA e o Cepea. A opinião é do superintendente de Agronegócios da Allianz Seguros, Rafael Marani, divulgada pela Revista Cafeicultura.

Seguro Rural

Marani afirma que para manter esse setor financeiramente estável e longe dos riscos, o seguro Rural vem despontando como uma ferramenta indispensável no campo. Tanto que, como reflexo de sua importância, dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) mostraram um crescimento nesse ramo em torno de 40%, em 2020.

Outro dado positivo, que também ampara esse volume, é o aumento dos recursos para subvenção ao prêmio do seguro Rural pelo Governo Federal. As informações apontam que a aplicação do subsídio para 2021/2022 será de R$ 1 bilhão.

Com esse montante, segundo o governo, será possível contratar 158.500 apólices, proteger 10,7 milhões de hectares e um valor total segurado de R$ 55,4 bilhões. 

Ânimo e oportunidades

Marani ainda relata que os fatores e dados recordes são animadores para o segmento e reforça o volume de oportunidades que o mercado oferece, propagando cada vez mais a cultura do seguro Rural.

A maior oferta de subvenção federal, o contínuo desenvolvimento dos canais de distribuição, o investimento de seguradoras em novas tecnologias e serviços, a maior percepção de risco climático por parte dos produtores e a elevação dos custos de produção/valor da saca favorecem, segundo ele, a contratação do seguro como ferramenta de mitigação de risco.

No entanto, o superintendente ainda ressalta que, mesmo diante de bons números, a área potencial de aplicação do seguro Rural é ampla e ainda há muito espaço para se conquistar.

Em Minas Gerais, as áreas seguradas em 2020 dobraram. Segundo dados do Atlas do Seguro Rural, do Mapa, o estado, que tinha apenas 258 mil hectares protegidos dentro do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), em 2019, passou a ter 700 mil hectares, em 2020.

Porém, olhando os números do Balanço do Agronegócio de Minas Gerais 2020, da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Marani afirma ter uma noção da área ainda a ser explorada. Somente a safra de grãos 2019/2020 na região atingiu 3,5 milhões de hectares.

Um investimento

De acordo com ele, é fundamental que o seguro Rural seja, cada vez mais, entendido pelo produtor como um insumo e um investimento. É também uma ferramenta essencial para que possa se garantir no mercado, por meio da proteção de sua propriedade, lavoura e seus equipamentos.

Por isso, é importante ressaltar que, dentro do seguro Rural, há várias possibilidades de contratação que vão além do Cultivo. Há seguros de Propriedades, que agrega casas, depósitos e granjas; Equipamentos Rurais, tais como tratores e colheitadeiras; além dos seguros de Vida e de Acidentes Pessoais dos Trabalhadores Rurais.


Marani diz que quando o produtor adquire um seguro Rural ele é imerso em um ecossistema de proteção. Isto porque se mantém ativo na cadeia produtiva do agronegócio. 

Uma cadeia imensa e que oferece oportunidades, ferramentas e situações favoráveis. Isto alavanca ainda mais o segmento de seguro e contribuir para um ciclo virtuoso na economia brasileira.