USDA revisa produção de café da Colômbia
close
USDA revisa produção de café da Colômbia

USDA revisa produção de café da Colômbia

Agora, previsão para 2021/22 é de 13,8 milhões de sacas, queda 2,1%, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA)

< 1 minuto de leitura

A produção de café da Colômbia foi revisada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A safra de café 2021/22 do país, segundo maior produtor mundial do tipo arábica, saiu de 14,1 milhões de sacas para 13,8 milhões de sacas. Ou seja, uma queda 2,1%.

Segundo reportagem do Estadão Conteúdo publicada no portal IstéDinheiro, o relatório do USDA, citando o Instituto Colombiano de Meteorologia (Ideam), diz que existe quase 90% de chance de que o fenômeno climático La Niña se desenvolva durante o último trimestre de 2021 e no início de 2022 na Colômbia.

Assim, isso representaria aumento das chuvas nas principais regiões produtoras de café, prejudicando o período de floração e, portanto, a colheita do grão na segunda metade do ano de 2022.

Além disso, as condições úmidas são propícias à propagação da ferrugem do café. Porém, a Federação dos Produtores de Café (Fedecafe) indica que 84,1% da área de café no país tem variedades resistentes à ferrugem.

Produção de café da Colômbia

Segundo o USDA, as exportações de café pela Colômbia em 2021/22 permanecem em 13,5 milhões de sacas. Desta forma, as importações revisadas de café devem aumentar de 1,4 milhão de sacas para 1,7 milhão de sacas.

O USDA também fez revisões para o período 2020/21. A estimativa de produção de café colombiano diminuiu de 14,3 milhões para 13,4 milhões de sacas, “principalmente por causa da interrupção do fornecimento na cadeia produtiva e dos rendimentos mais baixos dos cafezais provocados pela condições climáticas adversas”.

As exportações de café da Colômbia em 2020/21 saíram de 13,8 milhões de sacas para 13 milhões de sacas. Ou seja, consequência de bloqueios de estradas e protestos contra o governo durante 45 dias, entre maio e junho de 2021.